Moradias inteligentes e a pesquisa Datastore
19 2138-2525 Fale Conosco

Moradias inteligentes e a pesquisa Datastore

A experiência de viver bem ainda é um dos grandes desejos do brasileiro. Porém, de acordo com Patrícia Travassos, este sonho foi ‘atualizado’.

O assunto desta semana da coluna Inovação do programa Em Ponto, da GloboNews, foi a busca por moradias inteligentes e usou a pesquisa de dados do Acervo Datastore para reforçar esta tendência.

A experiência de viver bem ainda é um dos grandes desejos do brasileiro. Porém, de acordo com Patrícia Travassos, este sonho foi ‘atualizado’.

“Agora o negócio é morar na nuvem, inspirado na lógica do software. Já existe até incorporadora oferecendo o conceito de morar como um serviço”, comentou a jornalista.

Outra tendência é a impermanência, ou seja, ter mobilidade para mudar de habitação de acordo com a própria vontade e sem a obrigação de cumprir prazos determinados em contrato.

Embasada nos dados da Datastore, Patrícia Travassos explicou que, no decorrer dos últimos anos, houve uma redução na área privativa das unidades habitacionais – 50% em terrenos ou casas e de 8% a 15% em apartamentos.

O estudo Datastore apontou ainda que famílias menores, vida digital e aumento dos encargos com empregados domésticos são fatores que contribuem para esta mudança de comportamento.

“O presidente da Datatore, Marcus Araujo, afirma que este é o começo do fim dos imóveis de quatro dormitórios e o sucesso de imóveis de apenas um dormitório que precisa evoluir de um conceito tradicional para um estilo de “vão livre” que o cliente monta como quiser”, disse Travassos.

A Datastore produz atualmente dados de inteligência contendo as tendências dos imóveis para o próximo ciclo do mercado imobiliário que já iniciou e atingirá seu ápice a partir de 2020.

Confira a matéria para a GloboNews:

  

 

Pesquisa Datastore, a única com sucessometria.