fbpx
19 2138-2525 Fale Conosco

A Diversidade no Setor Imobiliário

Este é talvez um dos temas mais difíceis de se abordar na atualidade, pois é um convite à mudança, um chamado a deixar seus conceitos e pré-conceitos de lado, para edificar um mundo novo, e grandemente desconhecido.

Porém, o Homo sapiens, ousado, inovador, criativo que gosta de brincar de inventor, que preza muito sua imagem de animal fora da caixa, instintivamente, morre de medo do novo, do desconhecido, como qualquer outro bicho.

Isso acontece porque todos os nossos sistemas precisam de uma base única e o mais sólida possível, para uma sociedade crescer, é preciso que consolidemos mitos, crenças e instituições. Um país só existe de fato pois a grande maioria dos seres humanos que habitam nele, acreditam em sua existência, em suas fronteiras, territórios, moeda e ministérios.

Esse compartilhamento de crenças gera identidade, união, e permite que as sociedades cresçam à medida que mais Homo sapiens compartilham de suas ideias.

Outra coisa que está encravada no nosso DNA, apesar de todo o medo e receio que temos dela, é a MUDANÇA. A DIVERSIDADE. Para que aconteça o aprimoramento de um ser vivo, é preciso que algo mude, e então, acontece uma mutação no DNA, uma informação diferente que se incorpora no código genético. Uma pequena mudança, que infinitas vezes já foi a linha divisória entre o sucesso e o fracasso de toda uma espécie.

Certo, mas o que tudo isso tem a ver com o mercado imobiliário?

Por anos foram sendo construídas e consolidadas certas verdades sobre o mercado imobiliário, como por exemplo:

“O homem é o chefe da família, e como tal, é ele quem decide sobre a compra”;
“Investidores são aqueles com 60 anos ou mais, preferencialmente homens”;
“O perfil dominante dos compradores de imóveis são famílias (casal homem e mulher) com 2 a 3 filhos e um cachorro”;
“Lugar de animal de estimação é no quintal, e quem opta por apartamento geralmente abre mão de ter animal de estimação”;
“Aluguel é uma opção temporária, para pessoas com pouco capital, indicativo de fracasso financeiro”;
“Os casais se formam e consolidam aos 25 anos, e as famílias se multiplicam logo nos primeiros anos de casamento”
“Trabalho é no escritório, e a casa é o local de descanso e da sede familiar”.

Enfim, existem uma infinidade de verdades que foram adotadas ao longo das muitas décadas de existência do mercado imobiliário, mas como todo sistema regido integralmente por humanos, essas verdades já não cabem mais, e estão em pleno processo de mudança.

Agora, a diversidade invadiu o setor imobiliário, os novos públicos estão em busca de seus lares, e é preciso que os empreendimentos imobiliários estejam de acordo com as necessidades deles.

Agora, a família compradora de imóveis não tem uma cara. Agora, eles tem vários jeitos, formas e cores. eles tem cabelos rosa, roxo, castanho ou loiro. Eles são cacheados, repicados, curtos ou longos. Eles tem 60, 75 e 26 anos.

Essas famílias agora tem 1 filho, uma calopsitas, um gato e um cachorro, ou nenhum filho e 6 gatos, e até mesmo, nenhum filho e nenhum animal de estimação.

E como você está recebendo essas mudanças? Em toda a história, a terrível e assustadora mudança sempre chega, ela assombra o ser humano, mas uma vez que nós passamos a entender as novas verdades e identificar suas raízes, fica muito mais fácil criar uma nova forma de se viver e vivenciar a vida, a sociedade e os empreendimentos imobiliários – que são micro sociedades.

Agora, os investidores podem ter vinte e poucos anos; o casal que mora na casa alugada, podem ser seniores com a vida muito bem encaminhada; os casais podem ter as mais diversas cores; os filhos podem chegar na vizinhança dos 40 anos (ou não chegar); os pets também podem ser jabutis; o trabalho pode ser feito em casa, e o lazer também; o aluguel pode ser um estilo de vida.

A mudança sempre gera estranheza, e nós somos sempre inclinados a negar as necessidades que as novas gerações trazem para nós, mas as transformações, assim como as crenças dominantes, são essenciais e inerentes às sociedades humanas, e incorporar as diversidades e fazer delas uma oportunidades de melhorar a vida de todos os seres vivos que dependem deste planeta para sobreviver, é uma obrigação deste animal metido a inventor, você, o Homo sapiens.